Tuesday, May 23, 2006

Site Analisado

Site de Portugal: www.vivanaturalmente.pt


Seções: O site conta com uma coluna do lado esquerdo que contém 17 seções sobre Medicina alternativa. Três seções são as principais: Enciclopédia sobre medicina alternativa, as Terapias e a Saúde interativa.

Conteúdo: O site apresenta o conteúdo de uma forma interessante. Percebe-se que a maneira que os textos são escritos, eles são claros e objetivos. O site trata de assuntos variados da Medicina alternativa. Em todas as notícias do site sempre tem a identificação do responsável pelo texto. O site também conta com artigos sobre Medicina Alternativa.

Interatividade:O site não apresenta nenhuma interatividade com o internauta. O conteúdo apenas é mostrado, sem a possibilidade do internauta interagir com o site.

Diferenciais: O principal diferencial do site é que ele aborda vários tipos de medicina alternativa, dando a possibilidade do internauta escolher o tipo que informação que ele deseja. A página apresenta uma harmonia no aspecto visual e ainda conta com fotos coloridas para ilustrar o que o texto está falando.

Ponto Fraco: É que o site não possibilita a interatividade com o internauta.

Tuesday, May 09, 2006

O código Da Vinci - O Filme


O Código Da Vinci, tornou-se um fenômeno global, e apresentou a milhões de leitores um mundo misterioso onde Leonardo Da Vinci codificou significados ocultos nos seus quadros; símbolos estranhos estão esculpidos numa remota capela escocesa; e a Igreja Católica e uma antiga sociedade secreta continuam a travar uma batalha velha de séculos para obterem o controle do derradeiro prêmio: o Santo Graal. O filme trata da morte misteriosa do curador do Louvre, que pertencia ao Priorado de Sião, uma sociedade secreta, e guardava o segredo do Santo Graal e de mensagens cifradas sobre o assunto que estariam nas obras de Leonardo Da Vinci. Este não seria um cálice (como se buscava na Idade Média ), mas a própria Maria Madalena, que teria casado com Jesus e constituído uma linhagem carnal. A partir deste assassinato se desenvolve toda a trama.

Uma produção milionária aliada a um dos maiores best-sellers da literatura contemporânea, o filme é uma das maiores apostas do cinema em 2006. As filmagens foram feitas na sua maioria no próprio museu do Louvre e na França, onde se passa grande parte da ação. Quadros famosos como a Monalisa, não puderam ser gravados diretamente a luz artificial da câmera. Foram criadas réplicas para reproduzir essas obras centenárias que participam do longa metragem.

A Capela Rosslyn, localizada nas redondezas de Edimburgo, Escócia, vai ficar fechada durante esta semana para as filmagens de O Código da Vinci. A produção já preparou a área ao redor da capela para a chegada dos atores e, pelo que parece, será quase impossível chegar perto da construção durante os próximos quatro dias.

Depois da publicação do livro de Dan Brown, o número de visitantes da capela do século 15 aumentou certa de 50%. Segundo o jornal The Herald, o ator Tom Hanks, protagonista da adaptação, afirmou que tem admirado muito a cidade e que pretende passar mais alguns dias na região.

Dois dias antes de sua estréia mundial, O Código Da Vinci abrirá o Festival de Cannes, em 17 de maio. O anúncio foi feito no sábado pelos organizadores do evento, um dos mais tradicionais do cenário cinematográfico mundial. Mesmo quem não comparecer à sessão de abertura da 58ª. edição do festival poderá conferir o filme em outros cinemas da França no mesmo dia, pois a Sony decidiu antecipar a estréia no país.

Para assistir o clip do filme acesse o link:
Informações Técnicas:

Estúdio: Columbia Pictures (Distribuição, Produção); Imagine Entertainment (Produção)

Elenco: Tom Hanks (Robert Langdon); Jean Reno (Bezu Fache); Audrey Tautou (Sophie Neveu); Ian McKellen (Sir Leigh Teabing); Alfred Molina (Bispo Manuel Aringarosa); Paul Bettany (Silas); Jean-Pierre Marielle (Jacques Saunière)

Equipe Técnica: Ron Howard (Diretor); Akiva Goldsman (Roteirista); Brian Grazer, John Calley (Produtores); Salvatore Totino (Diretor de Fotografia); Hans Zimmer (Compositor) - baseado no livro de Dan Brown.

Sinopse: Um assassinato no Museu do Louvre e pistas em pinturas de Leonardo Da Vinci levam o professor Robert Langdon a investigar um mistério religioso que pode balançar as bases do Cristianismo.

Estréia: 19 de Maio de 2006 (EUA e Brasil)

Monday, April 24, 2006

Resenha Crítica

O que é Virtual ? Pierre Lévy
Cultura da Interface/ Steven Johnson

No capítulo analisado, Lévy explora os fundamentos, conceitos, as funções e as características do Hipertexto. Para quem é leigo no assunto, não é muito fácil entender o capítulo do Levy, pois é necessário que o leitor tenha uma bagagem de conhecimentos mais aprofundada nesta área.
Lévy diz, que o hipertexto é um conjunto de nós ligados por conexões. Os nós podem ser palavras, páginas, imagens, gráficos, sequências sonoras, documentos complexos que podem eles mesmo ser hipertexto.(site da internet)
Entendo que hipertexto é um texto que se articula com vários elementos com informações na web, pois essas informações contém referências internas para outras informações. O hipertexto não é apenas o texto corrido da notícia, mas tem que ter link’s no site para caracterizar o hipertexto.
Pierre Levy define O que é virtual?:
“O virtual não se opõe ao real, mas sim ao actual. Contrariamente ao possível, estático e já constituído, o virtual é como o complexo problemático, o nó de tendências ou de forças que acompanha uma situação, um acontecimento, um objecto ou uma entidade qualquer, e que chama um processo de resolução: a actualização.” Virtual é tudo aquilo que está na rede.
O sistema de hipertexto mais conhecido atualmente é o da World Wide Web. Acredito que com o surgimento do hipertexto, isso veio facilitar o acesso as informações num menor tempo e também possibilita ao internauta agilidade na escolha das informações e de certo modo tudo que está interligado na rede.
O capítulo analisado, do Steven Johnson, proporciona uma leitura mais clara e objetiva sobre a era da informática. Ele aborda a questão da importância do computador em nossas vidas e o quanto isso transformou a sociedade contemporânea.
Johnson questiona que com a criação do computador, nossa escrita está desaparecendo cada vez mais e isso gera uma grande mudança na nossa madeira de escrever e pensar quando estamos digitando no computador. A escrita na web transforma fundamentalmente o modo de como concebemos nossas frases. Concordo com a afirmação de Steven, outro dia estava na casa da minha avó no interior e precisava fazer um texto, mas tinha computador. Levei quatro horas para concluir o texto no meu caderno, enquanto que no computador levaria uma hora para escreve-lo.
As novas interfaces no computador facilitam a vida dos usuários. “Como uma interface semântica funcionaria realmente? No nível mais básico, continuaremos a ter algum controle sobre os conteúdos de nossas pastas, mas ele seria mais indireto, infiltrando-se pelo próprio software de comparação de padrões da interface. Algumas pastas poderiam ser definidas por atributos simples. Poderíamos deixar o computador classificar todos os nossos documentos segundo as relações semânticas que percebe na misturada.” Steven vai contra essa interface. Não consegui compreender corretamente essa visão.
Independente se o computador teria mais controle sobre os nossos dados ou não. A pergunta que me faço é com todo esse crescimento descontrolado das indústrias da área de informática, Quem são ou serão as poucas pessoas que dominarão essa tecnologia? Sou extremamente a favor do avanço tecnológico, pois isso, é uma das principais características dos países desenvolvidos. Só temos que tomar cuidado quando falamos que a era da informática transformou toda a sociedade contemporânea.

Tuesday, April 18, 2006

TRABALHO GRAU B

Senhor Professor Daniel:

Grupo: Alexandre Viégas, Munique Antunes e Joana Faillace.

Tema: Medicinas Alternativas

Desenvolvimento: Interatividade com os internautas, fotos, textos, reportagens, Públicações científica etc.

Tuesday, March 28, 2006

Indústria e Celular

Com o avanço da telefonia móvel no Brasil, as grandes fábricas estrangeiras como Motorola, Nokia, Samsung, Sony Ericsson, LG e Siemens, implantaram suas raízes mo mercado brasileiro de tecnologia, a partir de 1995. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), em 2003, a indústria instalada no país produziu 27 milhões de aparelhos celulares.
A indústria de celular, atualmente, reflete que não só a comunicação de voz está em jogo, mas também todo o artesanal de aplicações multimídia.Terminais estão equipados com telas coloridas, câmeras para fotografia digital e correio eletrônico, navegação na Internet e aplicações personalizadas, como o push-to-talk com a formação de grupos.

Saiba Mais:
Voz no Celular

História do Celular: O primeiro Alô

A primeira chamada de um telefone celular foi realizada em 03 de abril de 1973, em Nova Iork, nos Estados Unidos, pelo pesquisador Martin Cooper, da Motorola. Somente dez anos depois, o celular chegou ao mercado americano e europeu, pesando 794 gramas e custava aproximadamente 4.000 mil dólares. Devido ao seu peso ganhou o apelido de “tijolo” pelos consumidores.
O celular chegou ao Brasil em 1990. Na época, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações(Anatel), o país contava com 667 aparelhos. Em 1991, o número passou para 6.700 unidades. Em 1992 ultrapassou os 30 mil telefones celulares.
Com a privatização da telefonia móvel no Brasil em 1997, o mercado se abriu para o capital privado, onde ocorreu um grande investimento no setor. Ocorreu um enorme aumento na produção de aparelhos, com isso, novos serviços foram oferecidos a um menor preço, numa disputa por novos consumidores.
Ao longo dos anos, novos modelos mais sofisticados foram surgindo, fazendo com que os celulares mais básicos começassem a ficar mais baratos. Assim, a grande massa populacional teria acesso a essa tecnologia.

Mais Informações:
Tecnologia no Celular

Editorial Internacional

Em análise às notícias relativas a eleição em Israel identificamos alguns pontos convergentes e outros divergentes. Avaliando primeiramente o site IG, achamos a distribuição das notícias bastante confusas. A manchete da editoria, chama para o pleito Israelense, no entanto, a foto (que estava localizada logo abaixo do grande título) remetia a outro tema, que no caso eram os protestos contra as leis trabalhistas na França. Esta distribuição se repetiu no Portal Terra, mas com uma pequena diferença: abaixo da manchete havia um lead, acompanhado do link Leia Mais (a foto colocada logo abaixo do lead também remetia aos conflitos franceses).
A Folha Online expôs o assunto da mesma forma dos sites citados acima (com fotos de temas diferentes à manchete). Entretanto, a Folha conseguiu publicar o assunto com uma riqueza maior de detalhes: com manchete, lead, e três links alternativos que dão ao leitor a opção de acesso a outros temas sobre o país.
O site Globo Online, por sua vez, é o que realizou a abordagem mais completa e rica sobre o tema. Neste site, as informações estão mais detalhadas e dispostas de forma mais clara, com recursos de áudio sobre entrevistas realizadas pelo correspondente e fotos variadas. Logo na capa da editoria - além da manchete, da foto alusiva às eleições e dos recursos multimídia – o Globo coloca a disposição do seu leitor mais seis links com detalhes do pleito israelense. Em meio a tantos recursos, a dificuldade de acessar o conteúdo do site é identificada logo em seguida, quando é solicitado um cadastro para que a notícia possa ser visualizada na íntegra. Avaliamos este entrave “burocrático” como uma jogada de marketing, através da captação de futuros clientes com perguntas pessoais e comerciais.
No que diz respeito aos textos e na cobertura da notícia no interior nos sites, avaliamos tomas as matérias com abordagens bastante concisas. Todos fornecem números, informações sobre o histórico político do país, como se procederam as eleições, os horários, os partidos envolvidos, enfim, dados com uma pesquisa bastante competente e descritiva. O Terra é o único que apresenta uma cobertura mais simples. Constatamos também que agora, às 20h50min, os quatro sites haviam sido atualizados, no mínimo, desde às 17hs.
Entre as estratégias para persuasão de leitores são usados desde links que remetem a galeria de fotos, e a imagens da reportagem (utilizado pelo IG), como atalhos mais simplificados para assuntos tangenciais a eleição (ao exemplo da Folha). O Portal Terra, contudo, é o site que apresenta a cobertura mais superficial. O veículo apenas colocou o texto (com informações gerais) e uma foto, sem demais recursos multimídia. Concluímos por fim que o público que costuma utilizar a internet para se manter bem informado tem a sua disposição sites ágeis, bem construídos e com conteúdo de qualidade. Cabe a cada leitor, avaliar o perfil que mais esteja de acordo com sua necessidade.


ig
uol
globoonline
terra

Monday, March 06, 2006

Crianças Indígenas: Jogos Infantis

O sentido do jogo como conduta típica de crianças não se aplica ao cotidiano de tribos indígenas. Atirar com arco e flecha não é uma brincadeira, é um treino para caça. Imitar animais são comportamentos místicos tanto de adultos como de crianças, reflexos de símbolos totêmicos antigos. Adultos e crianças dançam, cantam, imitam animais, cultivam suas atividades e trabalham para sua subsistência.
Mesmo os comportamentos descritos como jogos indígenas não passam de formas de conduta de toda a tribo.As brincadeiras não pertencem ao reduto infantil. Os adultos também brincam de peteca, de jogo de fio e imitam animais. Não se pode falar em jogos típicos de crianças indígenas. Existem jogos dos indígenas e o significado é distinto de outras culturas nas quais a criança destaca-se do mundo adulto.

Tuesday, February 21, 2006

Como fazer link's

COMO FAZER LINK'S:



uol

JORNALISMO ONLINE

Boa Noite:

A primeira aula de Jornalismo Online foi interessante porque criei um blog.